Vez em quando…

Vez em quando, careço de água, meu mar seca e percorro minha paisagem de clima árido, de ventos quentes e de vazios. É o tempo em que os pés machucam-se em passos mais árduos e em que alma padece de mais alimento. É o tempo em que é preciso usar as lágrimas para plantar as flores. É o tempo em que nada se tem à vista, apenas um caminho aparentemente despropositado e que, invariavelmente, precisa ser percorrido sozinho.   Vez em quando, transbordo de água, inundo a vida e percorro minha paisagem de ventos amenos e de sentimentos abundantes. É … Continue reading Vez em quando…